Autora: Yara de Mello
O objetivo deste post é trazer uma breve análise climatológica dos dados da Estação Meteorológica Automática de Teresópolis (A618), localizada no Parque Nacional da Serra dos Órgãos.

 

A Estação Meteorológica Automática de Teresópolis (EMAT), pertencente ao Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), está localizada nas dependências do Parque Nacional da Serra dos Órgãos, no município de Teresópolis (Rio de Janeiro). Próximo à divisa dos municípios de Petrópolis, Guapimirim e Cachoeiras de Macacu, a uma altitude aproximada de 980 m.

(Clique sobre a imagem para visualizar melhor)

Localização da Estação Meteorológica Automática de Teresópolis (EMAT). Fonte: IBGE, SRTM90. Elaborado por Yara de Mello, 2017.

O Parque Nacional da Serra dos Órgãos é visitado por milhares de pessoas em busca de aventura (montanhismo, escalada, etc.) todos os anos. E entender um pouco sobre a dinâmica climática dos lugares que visitamos para praticar esportes ao ar livre é algo relevante.

A EMAT possui dados desde novembro de 2006 até a atualidade (2017). Para as análises climatológicas foram utilizados dados de 1° de novembro de 2006 a 31 de março de 2017 (11 anos aproximadamente). Foram considerados os dados de precipitação pluvial, temperatura do ar (média, mínima e máxima), umidade relativa do ar, e ventos (direção e velocidade).

A tabela abaixo traz as falhas na série histórica analisada, para cada variável meteorológica.

(Clique sobre a imagem para visualizar melhor)

Falhas na série histórica da Estação Meteorológica Automática de Teresópolis (EMAT). Fonte: INMET. Organizado por Yara de Mello, 2017.

 

PRECIPITAÇÃO PLUVIOMÉTRICA

 

Para calcular a precipitação pluviométrica diária, mensal, anual, etc. é utilizada a soma dos valores registrados de precipitação e não a média, por isso, as falhas na série são um grande impasse nas análises.

Em todos os anos analisados houve dias com falhas na série. A figura abaixo traz a média de precipitação mensal para a EMAT, não considerando no cálculo da média os meses com dias com falhas (sem falhas), e considerando no cálculo da média os meses com dias com falhas (com falhas).

(Clique sobre a imagem para visualizar melhor)

Precipitação média mensal na Estação Meteorológica Automática de Teresópolis (EMAT). Fonte: INMET. Organizado por Yara de Mello, 2017.

Observa-se que a dinâmica da precipitação é similar se comparada às médias sem falhas e com falhas. Para a análise da precipitação serão utilizadas as médias “sem falhas”.

A média da precipitação anual para a EMAT é de 2.781 mm.  A estação do ano com o maior acumulado de precipitação é o verão (janeiro, fevereiro e dezembro), com uma média de 942 mm. Em contrapartida, o inverno (junho, julho e agosto) é a estação do ano com o menor acumulado de precipitação (286 mm). A diferença média entre estas estações do ano é de 656 mm. Com isso já se sabe que a melhor época para praticar montanhismo na região é no inverno.

Na primavera (setembro, outubro e novembro) precipita em média 846 mm, e no outono (março, abril e maio) 708 mm.

O pior mês para programar uma trilha pela região seria janeiro, pois chove muito, em média 382 mm. E os melhores meses seriam julho (62 mm) e agosto (73 mm). A figura abaixo também auxilia nesta conclusão, pois os meses de julho, junho e agosto são os que em média possuem o menor número de dias com chuva.

No ano a média é de 180 dias com chuva na estação.

(Clique sobre a imagem para visualizar melhor)

Média mensal do número de dias com chuva (>0,2 mm) na Estação Meteorológica Automática de Teresópolis (EMAT). Fonte: INMET. Organizado por Yara de Mello, 2017.

 

UMIDADE RELATIVA DO AR

 

A média anual de umidade relativa do ar para a EMAT é de 84%. Os meses de fevereiro, agosto e setembro apresentam a menor umidade relativa, conforme figura abaixo. Sendo mais um ponto positivo para o mês de agosto para práticas de esporte ao ar livre. Enquanto os meses de abril e novembro apresentam a maior umidade relativa do ar, em média.

(Clique sobre a imagem para visualizar melhor)

Umidade relativa do ar média mensal na Estação Meteorológica Automática de Teresópolis (EMAT). Fonte: INMET. Organizado por Yara de Mello, 2017.

 

TEMPERATURA DO AR

 

 A temperatura média anual na EMAT é de 18°C. Os meses de junho e julho são os meses mais frios do ano, com uma média de 15,8°C, enquanto o mês de fevereiro é o mais quente (21,9°C), conforme figura abaixo.

A temperatura máxima registrada na EMAT é de 34,8°C às 14 horas do dia 24 de março de 2010. E a temperatura mínima registrada é de 4,5°C às 7 horas do dia 4 de junho de 2009.

(Clique sobre a imagem para visualizar melhor)

Temperatura mensal média, mínima e máxima do ar (2006 a 2017) na Estação Meteorológica Automática de Teresópolis (EMAT). Fonte: INMET. Organizado por Yara de Mello, 2017.

 

VENTOS (DIREÇÃO E VELOCIDADE)

 

 A figura abaixo traz a localização da EMAT, e com base no relevo da região é possível observar que a oeste/sudoeste da estação existe uma barreira orográfica proeminente, com altitudes superiores a 2.000 metros. Ou seja, mais de 1.000 metros acima da estação. A leste e sul da estação (menos de 100 km) esta situado o oceano Atlântico. Na mesma figura é possível observar a direção predominante dos ventos na EMAT.

A direção do vento que se destaca com a maior frequência é OESTE (33,1%), seguido de SUDOESTE (14,8%). Com a localização da barreira orográfica era de se esperar que ela barrasse os ventos destas direções. Porém, existe a dinâmica de ventos de vale-montanha (upslope-downslope). Durante a noite, devido à pressão atmosférica ser maior no topo das montanhas, e o ar se movimentar de uma região de alta pressão para uma região de baixa pressão, a direção predominante dos ventos advém das partes mais altas da montanha, justificando essa predominância de ventos de quadrante oeste.

(Clique sobre a imagem para visualizar melhor)

Direção predominante dos ventos na Estação Meteorológica Automática de Teresópolis (EMAT). Fonte: INMET, SRTM90. Elaborado por Yara de Mello, 2017.

Para embasar está conclusão foi realizada a análise de frequência da direção predominante dos ventos para o período diurno e noturno. Durante o dia, em média, os ventos de OESTE sopram com uma frequência de 21,5% na EMAT, enquanto os ventos de LESTE representam 20,7% da frequência. Já no período noturno, os ventos de OESTE possuem uma frequência de atuação de 44,9%, e os ventos de LESTE caem para apenas 4,6%.

 

Ao longo de todas as estações do ano (verão, outono, inverno e primavera) a direção predominante dos ventos também é de OESTE. E no período diurno e noturno para cada estação do ano ocorre a mesma dinâmica entre os ventos de OESTE e SUDOESTE predominando no período noturno, havendo decaimento na frequência no período diurno, enquanto há um aumento nos ventos de LESTE, principalmente. Ou seja, a variação da direção predominante dos ventos na escala diária é mais representativa do que na escala sazonal.

 

A dinâmica do relevo influencia na diminuição da velocidade dos ventos incidentes na EMAT. As barreiras orográficas acabam bloqueando os ventos, aumentando o atrito, e diminuindo a velocidade. O que pode ser observado na figura abaixo, onde cerca de 50% dos ventos possuem velocidade igual ou inferior a 0,5 m/s. Dinâmica bem diferenciada do que ocorre na Estação Meteorológica Morro da Igreja (Bom Jardim da Serra, SC), localizada na crista da montanha, onde as velocidades são bem superiores (maior frequência na classe de 5,7-8,8 m/s).

(Clique sobre a imagem para visualizar melhor)

Velocidade dos ventos na Estação Meteorológica Automática de Teresópolis (EMAT). Fonte: INMET, SRTM90. Elaborado por Yara de Mello, 2017.

 

 

 

CLIQUE AQUI para saber mais sobre a caracterização climática da Estação Meteorológica Morro da Igreja.